Foto-11.jpg
Ondabike - De Vila do Conde para o mundo PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Por Rui Fidalgo. Fotos: Ana Silva   
Terça, 05 Maio 2009 21:00
AddThis Social Bookmark Button

 

Entrar na Onda é fácil. Depois de 18 anos presente no mercado nacional, o mundo moderno e inovador da Onda parte de Barcelos para conquistar o mundo. “A marca Onda surgiu porque o Grupo PR Têxteis começou a produzir fatos térmicos, os neoprenes, e daí a marca Onda, ligada ao mar”, conta Paula Natália, em entrevista à FREEBIKE.

 

 

 


 

Hoje, a marca cresceu e está em várias frentes, desde o Surf, ao Comité Olímpico, até à Federação Portuguesa de Triatlo e claro passando pelas bikes. 

 

A marca Onda Bike surge, em 2005, depois de uma primeira aposta no segmento do surf com a especialização da PR Têxteis em fatos de neoprene. Nestes quatro anos de experiência no desporto das duas rodas, os equipamentos relacionados às bicicletas estão a levar a marca a um forte crescimento e a conduzi-la para fora de Portugal, onde a empresa começa agora a dar os primeiros passos. O BTT está a atingir uma dimensão muito maior em relação a outros desportos, depois aliado ao triatlo e à Onda Confort, uma sub-marca dedicada a material técnico para interiores, tem-se expandido em larga escala. 

“A estrutura da marca está preparada para todo tipo de desportistas e nós temos vários tipos de produtos para todo o tipo de necessidades”, conta Paula Natália.  O objectivo da Onda Bike é acompanhar o atleta na progressão do seu desempenho e para isso a marca desenvolveu desde o equipamento mais básico para os iniciados no desporto, até àquele que poderá contribuir para o alto rendimento dos mais exigentes. Catarina Silva, responsável pelo marketing da Onda Bike, sublinha que esta é uma das diferenças da marca face às concorrentes, “temos desde o produto básico ao produto de topo, com os melhores materiais e com as tecnologias de topo”, a Onda apresenta um vasto portfólio. O desenvolvimento da Onda Bike também tem acontecido em paralelo com a relação que foi fomentando com os diferentes parceiros, como é o caso da Bikezone.  

 

Os produtos Onda Bike estão em todas as lojas Bikezone e é esta rede de lojas que assegura a distribuição por todo o país. “Temos outras lojas que não estão associadas à Bikezone, como é o caso do El Corte Inglés, mas a distribuição é feita através da Bikezone e esta assegura-se que a distribuição não irá colidir com lojas que já vendam Onda Bike”, diz Paula Natália.

 

Além da distribuição, a Onda Bike também é responsável pelos equipamentos da Bikezone. A empresa já está a trabalhar nos novos equipamentos da equipa que terá como cor predominante o branco marinho, abandonando o laranja passando para o vermelho. Ainda em termos de equipamentos, a Onda Bike é responsável por vestir a equipa do Boavista, os atletas da Federação de Triatlo e o Comité Olímpico. Mas, vai mais longe, todos aqueles que pretenderem ter um equipamento personalizado, podem contar com a Onda. “Personalizamos equipamentos, os clientes entram em contacto directamente connosco, temos quantidades mínimas de dez peças por artigo, com o valor de mil euros de mercadoria”, Paula Natália. A?Onda Bike tem recebido muitos pedidos de personalizações à medida que o número de grupos a praticar BTT aumenta. A marca apenas pede uma maqueta e o resto é tratado pela empresa.  

 

Para o futuro, a Onda vai continuar a utilizar novas tecnologias, a testar novos materiais para oferecer aos seus clientes a inovação que lhes é exigida todos os dias, para quem já se habitou ao espírito da Onda.    Onda Bike por toda a Europa

 

A Onda Bike começa agora a dar os primeiros passos no mercado internacional, mas o objectivo já está traçado, ter a marca espalhada por toda a Europa. Paula Natália conta que a marca está a dar os primeiros passos no mercado espanhol, “essencialmente na Costa Atlântica e já temos uma loja Onda em Vigo”. Mas, a empresa não quer ficar por Espanha e já está a caminhar nesse sentido.

 

A estratégia já tem objectivos muito concretos e outros países já estão na mira da Onda. França, Alemanha, Benelux e Reino Unido são os próximos alvos. “Em França temos um director comercial e já contamos com um conjunto de distribuidores e, onde já temos muitos pontos de venda, cerca de 150 lojas a vender Onda Bike que estão essencialmente nas zonas Centro Sul, e no Norte estamos com uma pequena presença”. Neste país, uma das apostas tem sido os produtos personalizados, uma vez que existe uma forte procura e uma oferta limitada. 

 

O passo seguinte será para o Benelux e para a Alemanha e posteriormente a marca caminhará em direcção ao Reino Unido.?Neste último país, Paula Natália?conta que provavelmente este será o mercado com maior potencial de crescimento uma vez que “a Federação de ciclismo está a dar cada vez mais licenças e está-se a desenvolver uma cultura ciclistica no país” que ajudará ao aumento do gosto pelas duas rodas muito rapidamente. Assim, a marca tenciona já implementar a marca para poder colher posteriormente os frutos. “Não queremos entrar em força e depois não conseguir dar resposta ao mercado. Temos um produto de qualidade associado a um preço e a serviços de qualidade”, diz Paula Natália e é com base nessas premissas que a Onda Bike quer crescer, designadamente no estrangeiro.   

 

O objectivo da administração da Onda, liderada por?Carlos Pina, é dentro de quatro, cinco anos estar a facturar cerca de 1,2 milhões de euros por ano, só com o segmento Bike, um crescimento significativo face ao que regista actualmente.

 

Produzido em Joomla! » Valid XHTML and CSS » Webdesign: TIAGO RIO